terça-feira, 19 de outubro de 2010

"Poesia nos devaneios"

"Está aqui a tua sacola cheia e até posso imaginar o teu saco cheio.
Cheio de saco. Cheio de pelos.
Saco cheio.

Saco grande, saco pequeno. Apenas saco. O saco da bola, a bola do saco, o saco do pinto, o pinto do tanto saco cheio.

É , eis então a tua sacola cheia. Cheia de nada mas cheia de símbolo, só pra dizer o tamanho do teu saco cheio.
A roupa embolada que embola no saco, o saco do pinto de saco cheio.
Os fios enrolados junto a roupa embolada no saco, que enrola nos pelos do saco, que saco cheio!
E tem um gel de cabelo que mais parece embolado junto a uns outros frascos do saco, que deveria alisar e domar os pelos do saco, junto ao fios enrolados ao saco do pinto, pinto do saco da sacola de símbolos de finalmente SACO CHEIO.
E quer saber? Nada mudou. A sacola voltou cheia de símbolos, cheia de coisas pra quem sabe fazer papel do saco cheio na próxima cena."


marianne campos bortoletto 20/10/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

o som que vem de lá !

Loading...